Diese Webseite verwendet Cookies. Durch die Nutzung der Webseite stimmen Sie der Verwendung von Cookies zu.
Weitere Informationen zu Cookies erhalten Sie in der Datenschutzerklärung.

Associação para o Apoio e Acompanhamento de Jovens em Portugal


Testemunhos / Referências

 

02.02.2011     

[Traducido do alemão]
A minha filha encontra-se inserida desde Maio de 2009 no Projecto Progresso. Quando a visitei pela primeira vez em Agosto já consegui constatar uma pequena mudança, para nós uma grande mudança. Conseguimos falar uma com a outra sem começarmos aos gritos, o que me fez sentir muito bem. Quando no Verão de 2010 passámos alguns dias de férias sozinhas as duas, verifiquei que ela já não se apresentava tão agressiva como quando estava em casa e que também aceitava a minha opinião. Passámos uns bons dias juntas. Actualmente ela controla melhor a sua agressividade para com os outros e penso que o faz muito bem. Também frequenta a escola e com até com melhores notas do que em casa. Ela agora já pensa sobre o que quer fazer a nível profissional, o que antes de estar no Projecto nunca fora um assunto relevante. Penso que também compreendeu que sem esforço nada muda, nada se alcança e que tem que se ganhar cada cêntimo com esforço, antes de se poder gastar.

Marion
Mãe

 

31.01.2011

[Texto original em holandês]
Olá, eu sou o Jordi. Faz agora dois anos que estou longe de casa e faz um ano e meio que estou ao cuidado da Progresso. As pessoas da Progresso trouxeram-me para aqui, onde hoje estou, e sinto-me feliz por isso. O que sempre achei especial e que ainda hoje acho é a maneira como o acompanhamento se adapta sempre ao desenvolvimento dos jovens. É assim, que cada um se ocupa sempre com o que quer aprender naquele momento. É, sem dúvida, uma ajuda pessoal e individual que deixa ainda espaço para perguntas, conselhos e/ou para a opinião de cada um. E isto tem sido muito importante para mim.

Jordi
Jovem

 

 30.01.2011

[Texto original em holandês]
Nós somos os pais de um rapaz de 19 anos, com quem as coisas correram muito mal de há dois anos para cá. Ele tinha aulas pré-cientificas numa escola privada. Por sorte, ele já tinha o certificado da escola secundária normal. Durante uns tempos quase já nem ia à escola e durante o dia mal saia da cama. Na altura usava drogas leves, mas também experimentava outras drogas. As coisas pioraram muito rapidamente. Nós ainda arranjámos ajuda, mas já não foi suficiente, pois o então tutor já não conseguia chegar ao nosso filho. Foi através desse tutor que tivemos conhecimento de Jan Mulder da Tell-Us. O nosso filho esteve primeiro quatro meses com um casal em França, onde no início lhe custou bastante, mas onde aprendeu muito! Depois veio para a Progresso em Portugal e onde melhorou a olhos vistos. Ele vivia juntamente com outros jovens numa quinta e, numa fase posterior, passou a viver sozinho, mas com acompanhamento, numa aldeia perto da quinta. Durante o dia ainda trabalhava na quinta e, além disso aprendia a ser independente. Tudo isto, ainda sob o acompanhamento de Jan Mulder/Tell-Us e dos orientadores da Progresso. Entretanto ele mora numa cidade um pouco maior e tem emprego nas minas locais. O nosso filho está muito bem e em Maio/Junho deste ano irá regressar à Holanda para iniciar uma formação como fisioterapeuta. Nós só podemos dizer bem da Tell-Us e da Progresso e de como acompanharam o nosso filho. Na altura, deixá-lo ir foi um passo muito grande, mas em momento algum nos arrependemos. Durante este período, já fomos com a nossa filha a Portugal por duas vezes para participarmos num projecto para famílias. Até esta situação temos vivido de uma forma muito positiva! Sem a Tell-Us e a Progresso nunca teríamos conseguido.

Eelke e Maria
Pais

 

 30.01.2011

[Texto original em holandês]
Foi-nos pedido para escrever sobre a nossa experiência com a Progresso/ Tell-Us, pois temos um filho que é intelectualmente limitado e que se encontra já há alguns anos ao cuidado da Progresso / Tell-Us. As nossas experiências são muito positivas. O acompanhamento das crianças é feito com muita dedicação e cada um faz todos os possíveis para conseguir o seu melhor. De cada vez que o nosso filho regressa de um projecto da Progresso / Tell-Us, nota-se perfeitamente que progrediu.
Também participámos várias vezes num projecto para pais e filhos. Fazem-se imensas coisas com as crianças.  Existe uma boa organização da rotina diária e das tarefas do dia-a-dia que faz com que as crianças se mantenham ocupadas.  Quando um jovem passa aqui algum tempo, apercebe-se do sossego, da organização, vai à escola e trabalha dentro de um horário fixo com intervalos a horas certas.  Para além disso, no projecto cada criança tem os seus próprios problemas, os quais são trabalhados individualmente com cada uma, para que haja verdadeiros progressos, evitando, assim, uma má conduta. Aqui, as crianças também aprendem a lidar com os seus pontos fracos e é-lhes ensinado a serem autónomos. Aqui os jovens cozinham e lavam roupa alternadamente e têm de realizar outras tarefas. Também praticam desporto e ao fim-de-semana têm tempo livre suficiente para fazerem o que quiserem.  A saúde e estado físico das crianças não são descurados e não se esquece, inclusive, a ida ao dentista de meio em meio ano.Há um acompanhamento de 24 horas por dia. É com um coração descansado que deixamos o nosso filho na Progresso / Tell-Us, pois sabemos que ali ele está em boas mãos.

Família Stakenburg

 

 28.07.2010

[Traducido do alemão]
A senhora, as suas colegas e os seus colegas acompanharam de forma intensiva e pedagógica o meu tutelado entre 26-08-2008 e 30-06-2010. É-me importante, apresentar a si, como directora responsável, às suas colegas e aos seus colegas a minha gratidão e o meu respeito A Monika era uma delinquente recorrente de 16 anos com 28 antecedentes criminais, uma predisposição para o consumo de drogas e com perturbações de personalidade. Há que agradecer a diligência pessoal extraordinária da sua equipa, a sua experiência e o seu conhecimento especializado que permitiram alcançar com a Monika os objectivos da assistência social. A colaboração com a sua equipa de pessoas especializadas e extremamente empenhadas foi para mim uma experiência impressionante. Recomendarei com muito gosto a vossa equipa. Com os meus melhores cumprimentos,

M. Ditges
Director dos serviços / Serviço de Apoio a Cianças e Jovens de Düsseldorf
[O nome dos jovens foi alterado.]

 

 26.11.2009

[Traducido do alemão]
(...) O dia-a-dia dos jovens está bem estruturado e é cumprido com o devido rigor. No que diz respeito ao seu conteúdo, o decorrer do dia é caracterizado por tarefas pagas, apoio escolar, desporto, responsabilidades periódicas e actividades de tempos livres. Os jovens passam por várias fases de um programa exaustivo. Desta forma, são-lhes permitidos alguns privilégios, a entrada em determinados espaços e um incremento de responsabilidade de acordo com a colaboração demonstrada e com a alteração de comportamento conseguida.
Um componente importante do conceito geral é o trabalho dos pais. Para além do contacto por telefone e por correio electrónico, os pais vão a Portugal de 3 em 3 meses para passar uma semana com os seus filhos. Durante este tempo são realizados projectos conjuntos com objectivos concretos, que são acompanhados pelos orientadores e cujas conclusões são avaliadas.
O apoio escolar ocorre de forma individual nos moldes de uma «Escola - Flex» e possibilita uma preparação para a aquisição dos respectivos graus. (...)
O conceito de acompanhamento e as intervenções pedagógicas nas casas comunitárias de jovens parecem ser producentes e conclusivos. É de salientar, apesar de não ter sido experimentado na Saxónia-Anhalt, a consequente implementação de um dia-a-dia estruturado e com regras claras. A interacção sintonizada entre pedagogos e não-pedagogos (instrutores de trabalhos manuais, artesãos, professores de equitação, entre outros), no acompanhamento dos jovens permite influenciá-los de uma forma abrangente.
Uma outra vantagem resulta do próprio local onde o acompanhamento é realizado. O isolamento das casas comunitárias constitui uma forte característica inibidora de fuga, de modo a que os jovens não possam evitar uma confrontação com os seus próprios problemas.
Graças aos orientadores falantes de várias línguas e ao contacto permanente com jovens da Alemanha e da Holanda, os conhecimentos linguísticos são rapidamente alargados e cria-se uma compreensão para com outras culturas e países.
O trabalho da direcção e dos colaboradores é profissional e transparente, assim como a reflexão diária por escrito corresponde a um padrão de elevada exigência

V. Franke
Serviço de Apoio a Cianças e Jovens de Halle

 

 

 

 

[acima]